sábado, maio 12, 2012

Portas Abertas

"E Jonas se levantou para fugir de diante da face do Senhor para Társis; e, descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, de diante da face do Senhor."
Jonas 1: 3

Enquanto leio um pequeno capítulo do livro "Amado Timóteo" escrito por Geoff Thomas, o capítulo, bem entendido, porque este livro é escrito por várias pessoas... mas como ia a dizer, ao ler este pequeno capítulo sou chamado para um pormenor que me fez pensar.
É certo que não concordo com tudo o que este pastor sénior escreve, mas com base no texto Bíblico acima escrito, ponho-me a pensar: o que será que passou pela mente de Jonas quando encontrou o barco que ia exactamente para onde ele queria ir, e que custava uma quantia que ele podia pagar?

Será que Jonas também era da mesma opinião que nós em relação às "portas que se abrem" e às "portas que se fecham"? Será que para ele esta era uma porta aberta? As coincidências faziam pensar assim.
Será que um naufrágio como o que Paulo sofreu era uma porta fechada?

Não acham perigoso basearmos a nossa definição de "vontade de Deus" nestes critérios? Claramente, vemos que até o decidir ir, exactamente, para o lado oposto de onde Deus nos quer, pode ser sustentado como sendo a vontade dEle.
Por isso, Deus usa o que de mais óbvio Ele pode usar para percebermos o nosso mau caminho e a nossa ignorância no conhecimento de Deus.
O sofrimento, o peixe grande.

1 comentário:

Acima de tudo disse...

Eu imagino Jonas a procurar o meio de transporte para o lugar mais longe possível daquele para onde Deus o tinha mandado... Ou será que ele já tinha pré-definido Társis?
Não sabemos, mas o que ficamos a saber é isso: a nossa determinação (em fazer a vontade de Deus) tem que sobrepôr-se às circunstâncias ao contrário de ser guiada por elas.