quarta-feira, maio 25, 2005

Perdão

Homem santo, eremita, respeitado pelo povo, ao qual vinham para receber bênção, perdão, orientação, consolação.
“Stárets”, era assim chamado.
Aborda-lhe uma mulher, de rosto sofrido, confessa-lhe um pecado, em segredo.
E ele responde:
“O principal é que não se esgote em ti o arrependimento; então, Deus perdoa-te tudo. Não há nem pode haver pecado na terra que Deus não perdoe a quem não se arrependa sinceramente. Nem o homem é capaz de cometer um pecado tão grande que esgote o infinito amor de Deus. Existirá algum pecado que supere o amor de Deus?”
Fiodor Dostoiévski in “Irmãos Karamazov”

5 comentários:

Vilma disse...

Não, não há! E isso é Graça!

JOINCANTO disse...

Nada supera o amor de Deus.

Entre-aspas disse...

Quem pode conhecer, "a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade" do amor de Deus?
Aquele a quem o Filho o tem revelado.

..caRla.. disse...

sábias palavras...

quando for grande quero saber escrever como tu! será que isso implica a minha ida pro seminário???

Ismael disse...

As palavras não são minhas...
São do melhor escritor que conheço, Dostoiévski!
Obrigado mesmo assim!