terça-feira, junho 28, 2005

O convite

Se tivesse uma casa própria, em que de mim dependesse a sua manutenção, arrumação e pagamento da renda, embelezá-la-ia com especial atenção, sempre que alguma visita "especial" fosse minha hóspede.
Seriam casos de visitas formais, pouco naturais. Provavelmente não agiria com a naturalidade quotidiana, preocupar-me-ia em colocar a minha "máscara" mais bonita e agradável, trataria o convidado com cerimónia, e no que me fosse possível, respeitaria todas as regras de etiqueta e de boa educação.


O meu amigo vem-me visitar, combinámos ver "a bola" cá em casa. Comprei aperitivos e bebidas, para o "jogo não ficar seco demais".
O meu quarto, a sala, a cozinha, estariam como sempre estão quando estou sozinho em casa, meio arrumados, ele não é de cerimónia, é meu amigo...
Seria exactamente como sou. Uma noite muito bem passada a rir, contar histórias, discutir futebol, de vez em quando um arroto aqui ou acolá, mesmo que não tivéssemos guardanpos não faria mal, limpava-se a boca com a toalha da mesa.
Este seria um grande encontro, verdadeiro, sincero, creio que seria o típico serão passado com um grande amigo. Em suma, este meu amigo é que seria a visita verdadeiramente especial.



Gostaria de passar serões assim com Deus, mas creio que muitas vezes trato-O como sendo a primeira pessoa. Creio que Deus gosta muito de entrar na nossa casa desarrumada para ver "a bola" connosco.

3 comentários:

Vilma disse...

Também creio nisso... gostei imenso deste post! ;)

Anónimo disse...

Tb acradito k seja axim mas nao é ixo k fazemos pk achamos k Deus e demasiado importante para nao ser tratado com toda a reverencia poxivel...pomos a noxa mascara mais bonita e eskecemo-nos k Ele sabe tudo o k pensamos.
Porque esconder de Deus o k verdadeiramente somos se Ele ja o sabe desde sempre?
Medo...respeito...é muito provavel!

Ass:cobarde de mascara.

Mafalda disse...

E comigo não gostavas de passar um serão???